Então rapaziada, negócio é o seguinte: A partir de Dezembro vou começar uma série on line com a Ana Recalde. Uma série de terror que vai completar o quadro de HQs do site PETISCO!

Vou falar como e porque entrei nessa aventura, e depois falar do processo de produção do pôster teaser.

Então o negócio começou da seguinte maneira: O Petisco tem como pretensão contar com 7 histórias, sendo cada uma delas atualizada com uma nova página em seu respectivo dia da semana, e faltava uma HQ pra preencher o quadro.

A maior parte da galera de lá é oriunda do Quarto Mundo, inclusive a Ana é do coletivo, mas não estava, com uma história no site. Quando abriu a vaga, ela me fez o convite, e eu aceitei por uma série de motivos:

– Eu estava muito a fim de fazer webcomics, pretendia seriamente fazer uma ou duas séries com páginas semanais nesse mesmo esquema, mas num site só meu e tal. Eu ainda teria que ter um puta trabalho pra abrir um site e etc (em suma, fazer tudo sozinho como eu venho fazendo já a muito tempo). Abrir, divulgar, manter e etc, e isso tava me preocupando, porque o próximo ano vou estar muito pegado com a reta final da faculdade e prática de ensino. Pelo Petisco, é só enviar as páginas, vai ser uma facilidade pra mim, o site já tem uma divulgação bem legal e um bocado de leitores, eu vou obviamente contribuir com divulgação, mas juntando eu e a Ana, devemos agregar mais um bocado de novos leitores pro site, e todos os lados se beneficiam.

– Tem um tempo já que não trabalho em conjunto, o principal motivo disso é que gosto bastante das idéias que venho tendo para trabalhar. Próximo ano já estava fechada minha parceia com o Uole, que falarei melhor em breve, e quando a Ana me chamou, eu aceitei de prima (pelo motivo anterior), mas quando ela me passou a ideia, eu fiquei realmente empolgado por uma nova parceria!

– A galera do site é maravilhosa, caras super gente fina como o Cadu Simões, o Daniel “El Louco” Esteves, o Will e o Mário Cau, além da própria Ana!

– Quando ela me propôs terror, fiquei encantado. Já tem tempo que tenho vontade de fazer isso, mas nunca tive ou ouvi uma ideia legal. Ela começou a me falar sobre o que ela havia pensado, ela teve a idéia lá na plataforma dos independentes, no meio dos trens abandonados, que inclusive será a ambientação do primeiro arco.

– Outra coisa, e isso é bem legal, é a parte experimental da história. As possibilidades narrativas aumentam bastante, ela pediu pra eu exercitar a maior parte do tempo o quadrinho sem requadros, algo que já arrisquei em algumas páginas da Saidêra #2, e principalmente pelo lado do estilo de desenho, quando a garota está tendo pesadelos, uma ambientação bem dark, meio suja. Então eu vou poder trabalhar com umas texturas bem legais como um pincel seco pesado e retículas além de desenhar assombrações, sangue e todo o tipo chocante de cena que a Ana puder imaginar, e eu puder desenhar. Vai ser um grande laboratório, enxergo como uma forma de desenvolver um monte de coisa diferente no meu desenho que eu talvez não tivesse a oportunidade em outra ocasião. Trabalhar bastante com contrastes, o desenho com o branco, os contornos e etc. Tanta, tanta coisa, me deixou animado.

Nos dias entre a Comicon e FIQ, trabalhamos a personagem via e-mail, eu fiz uns esboços seguindo o que ela imaginava da menina, e ela amou, então vou colocar aí parte da descrição oficial que ta lá no site antes de partir pra composição do pôster:

“Nossa HQ conta a história de Samantha, uma criança de 7 anos, assombrada por pesadelos macabros. Apenas sonhos, alucinações ou algo mais cruel?
E se a sua história de terror fosse contada por outra ótica, por alguém que você não espera?
Beladona bebe na fonte de filmes de terror como O bebê de Rosemary, O Iluminado, A Profecia, Ringu, O Grito, Faet e autores como Guilhermo Del Toro e Stephen King.
Quer sentir medo?”

Se eu vou ser capaz de causar tamanho terror nos leitores? Tomara, esse vai ser meu maior desafio.

Então, com ideia, primeiras páginas de roteiro e visual da personagem definidos, fui adiante com uma sugestão que dei na Comicon: um teaser para levarmos pro FIQ, um pôster pro meu stand e um pro do Petisco. Enviei 3 idéias de composição:

Beladona - Esboço 01

Beladona Esboço 02

Beladona- Esboço 03

O primeiro, era o único que eu tinha na cabeça quando sentei na prancheta, e depois que eu terminei o rascunho, sabia que dava pra ser bem melhor. Então fiz os outros dois nessa ordem mesma aí de cima. Achei as duas bem melhor do que a primeira, incrível como a prancheta é inspiradora, principalmente quando se está em sintonia. Eu fiquei uns 3 dias pensando fora dela e não tive outras idéias, com 5 minutos sentado, com um lápis na mão, veio!

Mas fiquei com uma dúvida forte entre as outras duas, então a Ana foi o voto de minerva: opção 2!

Mas se tivesse tempo, eu teria feito a outra também, achei muito legal os bebês subindo a cama, não vou contar o porquê desses pequenos e ‘fofos’ mutilados pra não estragar nada.

Ideia aprovada, normalmente eu partiria logo pro desenho, mas fiz outro esboço, para sugerir um visual legal pro espelho, queria um espelho rococó ou barroco, e com uma ajudinha do pai google e do meu fiel pincel, fiz um desenho rápido, para definir o visual de vez, e com a aprovação, fui pro A3.

Beladona Teaser Esboço

Bem, aí já foi mais demorado, eita espelho chato, pra deixar ele o mais simétrico possível, principalmente porque exigia pinceladas longas e o mais regulares possíveis, e eu não tava com o meu principal pincel no momento. Mas fui pra dentro, e acho que o desenho ficou bem resolvido, tenho dificuldade pra fazer boas manchas de sangue espalhadas em paredes, algo que tenho que corrigir. Então o desenho que saiu da minha prancheta foi o seguinte:

Beladona - Pôster em PB.

Depois de escanear, parti pras cores. Havia escrito o logo num papel separado, usando uma posca grandona. Usei uma fonte que a Ana havia pesquisado para fazer as outras letras. Espelhei a decoração do papel de parede (que eu havia feito só metade), e distribuí numa camada separada no Photoshop, para poder pintar sem misturar com o sangue.

O resto foi só brincar de colorir, com cores o mais chapadas e menos saturas o possível. Ainda dei uma mudança de tonalidade no próprio traço do desenho, devo trabalhar com isso durante a HQ também, quero experimentar muitas coisas ainda.

O resultado afinal, foi esse:

Pôster teaser exposto no FIQ.

Trabalhar com bebês mutilados é tão divertido quanto parece, desenhar espíritos torturados, monstros, pesadelos e uma garotinha de 7 anos se ferrando pra lidar com isso tudo vai ser bem legal, to muito a fim de ver no que vai dar.

Eu to animado, a Ana também, e todos que viram o pôster gostaram demais, e também estão no aguardo, então acho que vai dar tudo certo, e sei que tenho muita responsabilidade em conseguir expressar tudo o que for necessário.

Ah, a nossa série terá uma página nova publicada a cada sábado!

Vai ser lindo!