A partir da edição nº 32 do Subterrâneo as histórias do Demetrius Dante mudaram um pouco sua estrutura. Ao invés de uma HQ seriada, com vários capítulos, como foi a primeira, resolvi partir para uma abordagem diferente. As tramas passariam a ser narradas pelo DD e consistiriam de “encontros”. Comecei com um demônio, depois um anjo mas logo na terceira ele já se encontrou com um personagem do próprio Subterrâneo, o Derek, justamente aquele que havia sido o motivo da criação do DD. A partir daí os encontros passaram a ser com os outros “habitantes” do zine, Piratas, Pária, Franco, Peludinho, etc…

Essa proposta também incorporava uma mesma narrativa visual para todas as histórias, começando no alto com a narração, dois quadrinhos menores na lateral esquerda da página e a cena principal, maior, que não é o desfecho mas sim o início da história, o “continua”, presente no pé da página, é só para o leitor, um exercício de imaginação para ele elaborar sobre o que poderia acontecer dali pra frente.

No início os encontros aconteciam na porta do escritório do DD, era como se ele estivesse recebendo esses personagens, mas depois passaram a ser externos, no entanto, em algum momento poderão voltar ao local anterior, só o tempo dirá. Até o momento já tivemos 10 desses encontros, mais oito estão programados até a edição 49 do Subterrâneo.

Para introduzir essa nova série no Petisco eu elaborei uma capa especial seguindo o mesmo padrão visual das histórias, então vocês vão ficar com essa ilustração e ter que esperar mais um pouquinho para começar a curtir de fato os “encontros inusitados do detetive do absurdo”.