O.O

Quando o roteiro pediu que as versões do Garoto usassem uma máscara com a cara dele, e ele com a máscara do Terapeuta, pensei que seria muito interessante visualmente – e condizente com o ambiente e a situação da cena – que as máscaras fossem um tipo de janela para rostos do Garoto em diferentes momentos de sua história, e não estruturas fixas, tridimensionais e modeladas segundo seu rosto. Acho que funcionou. E você, gostou?

Vamos dar uma olhadinha no processo dessa página? A finalização do Garotinho (assim como todos os outros) segue o mesmo padrão que foi usado nas suas versões originais. No caso da criança, vinda diretamente das memórias do Capítulo 6, a finalização é toda em caneta esferográfica, que depois recebe como base de cor uma textura de papel amassado e luzes com um brush que simula lápis.

O Garoto raivoso (Capítulo 5, anyone?) já deixa muito mais liberdade, pois as linhas precisam desconstruir o cara como se toda sua raiva acumulada estivesse transformando-o em um ser do lado escuro da Força ;)