Oi, pessoal!

Finalmente, no ar, a página (da semana passada)! Dessa vez nós homenageamos os quadrinhos de super-heróis da Marvel, nos anos 60!

Com a narração épica e os diálogos espertos de Stan Lee e a arte estrondosa e pioneira de Jack Kirby, a Marvel ganhou espaço principalmente por mostrar o lado humano de seus personagens, e não só os poderes e batalhas.

Essa página, pra variar, está cheia de easter eggs… Quais vocês identificaram??? Comentem aqui!

Uma das coisas mais legais em produzir essa página foi a minha constatação de que eu não poderia pintá-la do modo tradicional. Claro, queria usar o efeito das retículas para dar aquele efeito de impressão antigona, como foi feito nessa página de Terapia. Mas durante minha pesquisa, fui entender melhor a paleta de cores daquela época. A paleta era limitada a 64 cores, e muitas vezes, nem metade disso era usado. Os coloristas precisavam se virar muito com poucas cores. Essa é a paleta máxima que a época permitia:

Palesta de Cores.

E isso por causa do tipo de papel usado (jornal, bem absorvente e ruim) e da impressão mesmo. Esse artigo explica resumidamente como funcionava, e acho que vale a pena dar uma lida.

Em breve quero escrever um texto sobre Jack Kirby. Estudei muito sobre sua vida e obra, lendo o maravilhoso Kirby, king of comics, do escritor Mark Evanier. Fiquei emocionado e impressionado com a trajetória desse artista. Sempre soube da sua relevância para os quadrinhos, mas saber de sua vida por trás da prancheta me fez pensar muito na minha própria vida e carreira, e no mercado de quadrinhos brasileiro. Em breve, então, um texto sobre isso.

Jack Kirby.

Lembrando também que estamos concorrendo mais uma vez ao Troféu HQMIX, na categoria Melhor Webcomic! Se você é votante, considere-nos para seu voto, e desde já agradecemos!